SEJA BEM VINDO AO

SEJA BEM VINDO AO
DOURADOS - MS

clubedoviralata@gmail.com


ATENÇÃO:

O CLUBE NÃO RECOLHE ANIMAIS!!!!
NÃO TEMOS SEDE OU LOCAL PARA ABRIGAR!

SOMOS UM PROJETO EDUCACIONAL, voltado para a disseminação dos conceitos de POSSE RESPONSÁVEL!

Divulgue o site!
Os animais são vidas indefesas que precisam do ser humano!

NÃO COMPRE ANIMAIS, ADOTE!

AMIGO DE VERDADE NÃO TEM PREÇO!

Atenção: os telefones divulgados aqui são para ADOÇÃO! Não temos nenhum tipo de atendimento gratuito, nem telefone.

Contatos somente por e-mail.



31 de dezembro de 2010

ADOTADOS!!!! Filhotes FOFOS para adoção!

Amigos,


Mais uma vez estamos aqui pedindo a colaboração de todos para que estes fofos encontrem um lar.

São 2 machinhos e 2 femêas. Porte médio.

Estão com 60 dias e já comem ração.



24 de dezembro de 2010

Feliz Natal e 2011 maravilhoso!




Estamos em férias merecidas!


Todo mundo precisa de uns dias de descanso, para recarregar as baterias e voltar ao trabalho com mais vontade, mais garra, mais empenho.

Vamos descansar, curtir os nossos familiares e nossos pets, e voltamos após 10/01/2011.

Feliz Natal e 2011 cheio de alegrias!

21 de dezembro de 2010

Campanha permanente: invista em castração!

Amigos e voluntários,

Com os crescentes pedidos de recolhimento de ninhadas, o que o Clube NÃO faz, achamos que é uma ótima ideia conscientizar as pessoas a participarem da campanha "INVISTA SEU 13° EM CASTRAÇÃO!"

Se cada pessoa castrar UM animal que seja, já estará salvando milhares de vidas, ao evitar o seu nascimento e futuro abandono!

Não há lares para todos.

O abandono é cada vez maior.

Se você não tem animais, conscientize quem tem.    Castração é a solução!

Procure o seu veterinário de confiança, converse sobre a cirurgia, sobre formas de pagamento. Castração não é gasto, é investimento!

Veja os artigos sobre castração e reflita!

Cadelinha castrada para adoção!

O Clube Vira Lata divulgou hoje uma cachorra adulta que está à espera de um lar. O animal atende pelo nome de Meg é carinhosa, alegre e está sob os cuidados da protetora Silza. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone 9258-1458.




Gatos: o que eles fazem por nós!

Esquentam nosso colo e nos dão alguém para falar.

Ajudam a baixar a pressão.

Criam um elo entre você e as outras pessoas que têm gatos.

Transformam objetos comuns em brinquedos.

Nos fazem mais atentas aos pássaros.

Funcionam como alarme.

Exibem acrobacias para você.

Contribuem para tornar sua vida mais longa.

Enfeitam o peitoril da janela.

Mantém os ratos longe.

Nos fazem sorrir.

Inspiram os poetas e escritores.

Nos ensinam a ter os pés no chão.

Nos fazem deixar nossos desejos em segundo plano em prol de alguém.

Aquecem nossas casas e nossos corações.

Nos lembram de como a vida é misteriosa.

Compartilham conosco o seu ronronar.

Nos instruem na arte de se espreguiçar.

Mostram-nos como levantar a poeira e dar a volta por cima.

Fazem com que até nosso sofá velho pareça bonito.

Abrem nossos corações.



Autoria Desconhecida.

15 de dezembro de 2010

ADOTADOS! Gatinhos para adoção!

11 filhotinhos, machos e fêmeas, todas as cores, 3 a 4 meses, todos CASTRADOS!  Contato com a Dona Imaculada!

3426 5978




Veja aqui um artigo sobre adoção e convivência com os gatos! Você vai se surpreender!

14 de dezembro de 2010

Adoção no HV Unigran - Adotados!






O HOSPITAL VETERINÁRIO DA UNIGRAN ESTARÁ EM RECESSO DO DIA 16/12/2010 AO DIA 10/01/2011, POR ISSO PRECISAMOS DOAR OS ANIMAIS QUE ESTÃO ABRIGADOS AQUI OU AO MENOS CONSEGUIR UM LAR PROVISÓRIO ATÉ QUE VOLTEM AS ATIVIDADES DO HOSPITAL!


QUEM PUDER AJUDAR, OU SOUBER DE ALGUEM QUE POSSA AJUDAR ENTRE EM CONTATO!      3411 4199

TENTAREMOS CONSEGUIR RAÇÃO PARA OS ANIMAIS QUE FOREM PARA LARES PROVISÓRIOS!

ANIMAIS QUE PRECISAM DE UM LAR, MESMO QUE PROVISÓRIAMENTE:

* LUNA: gata adulta (aproximadamente 1 ano de idade), cinza, castrada e super carinhosa!
* BELA: filhote (aproximadamente 2 meses), mestiça de siamês, ainda não está castrada mas será doada com vale castração.
* MARRIE: filhote (aproximadamente 2 meses), SRD, rajadinha, ainda não está castrada mas será doada com vale castração.
* VICK: adulta (aproximadamente 1 ano), SRD, amarela, será doada com vale castração!
* SPIKE: adulto (aproximadamente 1 ano), SRD, marrom, será doado com vale castração!

MUITO OBRIGADA
MARCELA LIMA
Médica Veterinária

8 de dezembro de 2010

Zeca para Adoção. ADOTADO!

Macho adulto porte pequeno para adoção!
Quem tiver interesse, entre em contato com o Rodrigo pelo celular  31 9277-2292
OU com a Luana: (67) 8419 2286 - (67) 3426 1929

18 de novembro de 2010

ADOTADOS! Caso de adoção urgente!

Estes filhotes precisam de um lar URGENTE.
A dona da casa está internada no hospital e não tem como cuidar dos filhotes e da mãezinha. Estão todos para adoção: 3 filhotes fêmeas, 3 filhotes machos.

Não tem ninguém na casa para cuidar deles, por isso precisam ser adotados com urgência. Os filhotes estão com 40 dias e já estão começando a comer ração.





17 de novembro de 2010

Gatinhos lindos para adoção!

Contato dos lindinhos:  Erica:  3426-0443   /  9277-2151.
Com cerca de 1 mês, 4 filhotinhos lindos.

ADOTADA! Fêmea porte pequeno para adoção!

É uma fêmea pequena, sem raça definida, parecida com FOX. Jovem adulta saudável, com cerca de 08 meses, e, muito, MUITO, muito carinhosa, dengosa e companheira. Ideal para crianças, famílias. Será castrada no dia 18.11.


Ela precisa urgentemente de uma família que a acolha e lhe dê muito amor.
Ajude-nos a proporcionar uma vida melhor para essa gracinha!!!

Telefones para interessados:
(67) 3421 9780 - Hilda;
(67) 8417 5360 - Bianca.

1 de novembro de 2010

Poodle desaparecida!

Poodle fêmea, de nome Pakita, desapareceu em 29.10, no centro de Dourados.
Contato com Elizeti: 9942 0644

Filhotinhas para adoção! ADOTADAS!





Porte médio e porte grande, filhotas lindas!
Contato:
8419 2286  - LUANA

26 de outubro de 2010

Mais gatinhos para adoção!

Esses gatinhos são da Dany!
Contato: 67 3427-3381

67 8411-2311



Leia um artigo sobre gatos AQUI!

15 de outubro de 2010

Por que não deixar o animal solto nas ruas?

A posse responsável implica em manter o animal dentro do espaço doméstico, a fim de evitar transtornos relacionados com animais errantes. Deixar um gato ou um cão solto nas ruas pode acarretar muitos problemas:

- transmissão de doenças como raiva, leptospirose, leishmaniose, toxoplasmose, entre outras;

- possibilidade não só de o ANIMAL SOFRER UM ACIDENTE (com danos muitas vezes irreparáveis) como também de atacar outros animais ou pessoas (no caso de crianças, as conseqüências costumam apresentar extrema gravidade), ser atacado por outros animais ou pessoas maldosas,  OU AINDA, SER PEGO POR ALGUÉM POR ENGANO, JULGANDO SER ABANDONADO.

- sujeira nas vias públicas, devido ao aumento da quantidade dos dejetos fecais e destruição de sacos de lixo (onde os animais errantes procuram sua fonte de alimento nas ruas);

- PROCRIAÇÃO  SEM CONTROLE, contribuindo para agravar ainda mais o problema da SUPERPOPULAÇÃO de animais errantes.
Os animais devem passear somente com guias e coleiras apropriadas ao seu peso, tamanho e personalidade. Lembre-se que você é o responsável pelas atitudes do seu animal de estimação, podendo ser responsabilizado até mesmo nas esferas judiciais.

A sociedade deve se aliar aos órgãos públicos no sentido de diminuir a quantidade de animais errantes em nossas cidades. É  a única forma de promover qualidade de vida para animais e seres humanos. O animal não é uma COISA, trate-o com respeito.

5 de outubro de 2010

Motivos para adotar


Além de uma vida emocional mais equilibrada, ter um bicho de estimação também fortalece a saúde. Criar um bichinho de estimação ajuda as crianças a desenvolverem um senso de responsabilidade.

Hollywood não para de reproduzir as mais belas e reais histórias de amor e companheirismo entre animais e seus donos, e nem poderia deixar de contá-las. A lealdade provada pelos bichinhos tem emocionado muitos, e casos como o do filme “Marley & Eu”, e de “Sempre ao seu lado”, têm conscientizado as pessoas a respeito dos benefícios da companhia de um pet. Há quem acredite que eles podem detectar até mesmo um câncer, de tão sensíveis e especiais. Em contrapartida, existem milhares de cães e gatos abandonados, esperando apenas por uma oportunidade de fazer a alegria da casa. A seguir, a PetMag listou 5 motivos pelos quais a adoção é uma boa alternativa para curar não só o físico mas também o emocional.
*
Companhia Nada como chegar em casa e ser recepcionado por latidos de alegria, rabinhos ansiosos balançando, ou simplesmente o carinho mais discreto do bichano que se enrosca por suas pernas. Os pets acabam se tornando um santo remédio contra a depressão e solidão.
*
Dedicação É impressionante a audição apurada dos cães que detectam a chegada do dono antes mesmo dele se aproximar da porta de casa. Outro ponto importante é a sensibilidade dos animais que parecem saber o estado de espírito do dono e se aconchegam no colo, como se quisessem dizer: “estou aqui, não fique triste”.
*
Responsabilidade Criar um cãozinho ou mesmo um gato exige uma boa dose de responsabilidade, sendo uma tarefa edificante para crianças maiores (a partir dos 8 anos). Levar o animal para passear, recolher suas fezes, acompanhá-lo ao veterinário, entre outras atividades são verdadeiras lições de cidadania para qualquer ser humano.
*
Saúde Mas não é apenas a parte emocional que sai ganhando com a convivência com animais. Eles também proporcionam saúde aos humanos. Uma pesquisa realizada na Suécia com crianças a partir de sete anos, concluiu que as felizardas que possuíam animais de estimação desde o primeiro ano de vida estavam menos sujeitas a asma e rinite alérgica. Já um estudo norte-americano revelou também que a presença de animais estimula os donos à prática de atividades físicas, o que evita problemas de obesidade, estresse e ansiedade.
*
 Segurança Quem nunca ouviu uma história de animais que colocaram sua própria vida em risco para salvar a de seus donos, ou até mesmo de um desconhecido? Além de bons guardas, os pets podem também ser excelentes “sirenes” que indicam caso algum barulho ou perigo venha ameaçar a casa. Há ainda aqueles que literalmente vivem para tornar a vida dos humanos melhor, como os cães guia, policiais, pastores, bombeiros ou ainda, aqueles que são treinados para serviços domésticos, destinados a pessoas com deficiências físicas.

Fonte: PetMag

2 de outubro de 2010

Por que adotar um gato?


Por que adotar um gato adulto?

Infelizmente, são muitos os gatos adultos que esperam ansiosamente por uma nova oportunidade de sentir que pertencem a um Lar. Todos sabemos que o abandono é um flagelo ao qual campanhas de sensibilização e os alertas não conseguem colocar um fim.


Por motivos diversos e incompreensíveis donos irresponsáveis e que sem dúvida nunca foram capazes de amar o seu animal de estimação (afinal, se sentissem algum amor, ainda que pouco certamente nunca cometeriam o ato ignóbil de o abandonar), descartam-se com enorme facilidade do seu gato (ou cão), afastando-se alguns quilômetros de casa, abrindo a porta do carro e dizendo até nunca. E por incrível que pareça, muitas vezes vão em seguida tirar férias, descansados e sem o mínimo remorso ou peso na consciência. Não se lembram que deixaram entregue à sua (má) sorte, um ser vivo, e que por ter sido animal de casa, tem muito menos possibilidades de se defender dos inúmeros perigos que a vida na rua representa, do que aqueles que nasceram na rua e nunca tiveram um lar.


Por vezes estes gatos têm uma sorte (relativa) e são recolhidos por amigos dos animais, voluntários ou não de associações protetoras, que os recuperam, tratam quando doentes e se esforçam desesperadamente por lhe encontrar um lar. Mas esta solução não pode deixar de ser provisória: não é justo para o animal ser obrigado a passar o resto da vida fechado dentro de um espaço limitado. É particularmente doloroso ver animais que tiveram um lar, que foram habituados a ter alimentação e abrigo, ficarem privados, muitas vezes até a morte, do conforto (físico e psicológico) a que foram habituados.


Muitas pessoas não adotam um gato adulto porque têm alguns receios, ou até mesmo a falta de informações as leva a condicionar que não têm condições para o fazer. São alguns desses medos e preconceitos que procuramos abordar neste artigo:
O gato adulto não é meigo: É muito freqüente as pessoas associarem a idéia de um gato adulto com alguma agressividade e distância; nada mais falso; um gato abandonado que tenha sido recolhido e que tenha recebido carinho, em regra, é extremamente dócil e carente; o gato sofre com o abandono; precisa voltar a ter atenções e carícias de uma mão amiga; se adotar um gato adulto,vai certamente receber o amor incondicional do seu novo amigo; pode acontecer que o gato, se foi sujeito a grande violência, ou se permaneceu muito tempo fechado num gatil, se torne mais assustado e se isole; no entanto, são vários os relatos de situações destas que, com dose reforçada de carinho e atenção, se consegue conquistar o coração do novo amiguinho, demonstrado-lhe que ele está seguro e que nem todos os humanos são maus; mas sublinha-se que quase todos os gatos adultos que se colocam para adoção são extremamente meigos.

O gato pode estar com várias doenças contagiosas: É verdade que quando são abandonados, os gatos ficam sujeitos a contrair doenças, contagiosas ou não. No entanto, os gatos recolhidos são tratados, dasparatisados e quase sempre os testes do FIV e FELV efetuados. O contágio destes vírus, só ocorre entre os gatos e não existe qualquer perigo para os humanos, razão pela qual, por si só, não deve ser um impedimento para que o gato não seja adotado (por exemplo, se não tiver mais nenhum gato ou por uma pessoa que tenha gatos com o mesmo vírus). Assim, se está interessado em adotar um gato adulto, não deixe que o medo da eventual existência de doenças contagiosas o impeça. Fale com a pessoa que trata e cuida do animal em questão e informe-se sobre a sua saúde. O risco é muito reduzido. E como verificará, são muitos os animais que já têm os testes efetuados.

O gato adulto não irá me reconhecer como dono: Ao contrário do que muita gente pensa, o gato, tal como o cão, reconhece o dono; numa casa com um agregado familiar mais ou menos numeroso, ele vai sempre identificar algum como o dono da sua eleição. Tendencialmente, a pessoa que lhe dá mais atenção. Que o trata e lhe dá carinho. Isso acontece independentemente da idade do animal, seja bebê ou adulto. Quando entrar no seu novo lar, ele vai ter que procurar uma referência humana. Por isso não tem que se preocupar com esta possibilidade: o seu animal vai amá-lo incondicionalmente!

O gato adulto vai marcar o território: Com freqüência os gatos adultos que são colocados para adoção já foram castrados ou esterilizados, ou pelos voluntários que os recolheram, ou pelas associações de proteção. Esta medida permite que os animais deixem de marcar território e evita que se reproduzam. A marcação do território está fortemente associada aos períodos de cio, que se eliminam com esta intervenção cirúrgica. Se por acaso adotar um gato adulto que não esteja esterilizado/castrado, pense seriamente nesta possibilidade, por um conjunto diversificado de fatores que qualquer bom veterinário não deixará de lhe explicar. Se optar por um gato bebê, não se esqueça que vai correr o mesmo risco da marcação territorial quando ele crescer, que pode, como viu, eliminar.

Tenho outros gatos que não vão gostar de um novo companheiro: A introdução de um novo gato, seja o segundo, o terceiro ou o enésimo, tem que ser feita de forma gradual. Os gatos gostam de pensar que são seres superiores e que os seus domínios se estendem até onde seu olhar pode alcançar. Mas a verdade é que adoram a companhia de outros gatos, com quem possam brincar e se comunicar (já imaginou viver a vida inteira com seres que não falassem a mesma língua?). A reação inicial a chegada de um novo animal, salvo algumas exceções, é sempre de grande tensão. O(s) gato(s) da casa vai sentir ciúme e por isso, recomenda-se que nos primeiros dias os gatos não fiquem juntos sozinhos. Deve tentar a aproximação quando estiver presente para controlar eventuais ânimos exaltados. No espaço de 1 ou 2 semanas e por vezes até em menos tempo, a aproximação vai ocorrer e quase sempre os animais acabam se tornando bons amigos. Uma reação mais negativa pelo fato de o novo elemento ser adulto e não bebê, pode acontecer, mas não é linear. Inclusive, há casos em que gatos adultos foram mais bem aceitos, mas isso varia de gato para gato. Uma coisa é certa, mais dia, menos dia, a regra é que possa contar com uma família feliz.

E se só tem um gato, lembre-se que é muito importante para ele ter a companhia de “um igual”. Tenho medo que o gato fuja por não conhecer a nova casa: Naturalmente que o novo gato vai ter uma reação inicial de estranheza, face a um ambiente que é totalmente novo. O perigo de que ele fuja se encontrar uma porta ou janela aberta é real, mas o mesmo perigo existe também para um gatinho bebê.

Um dono responsável é aquele que toma as devidas precauções em matéria de segurança, para garantir que seu animal não vá para a rua. Mesmo com toda cautela, por vezes acontecem alguns imprevistos e por isso, é fortemente recomendado que coloque um chip de identificação no seu animal de estimação, que lhe permitirá maior tranqüilidade em caso de seu gato se perder.

Também é conveniente não esquecer o tradicional método de identificação: uma coleirinha (sem guizo, que deixa seu gato completamente maluco!) com endereço e telefone. Quando o novo gato chegar em casa, por favor tenha particular atenção as portas e janelas, e caso tenha jardim, nas primeiras 4 ou 5 semanas, pelo menos, não permita que ele vá passear lá fora, por mais convincente que sejam alguns miados lamentosos (os gatos são espertos e sabem utilizar as diferentes vocalizações que podem fazer, para convencer o dono a fazer suas vontades). Nada substitui a segurança do lar e o gato vai acabar por se habituar à nova casa muito mais rapidamente do que se espera.

È mais fácil ensinar um gato bebê que um adulto: Os gatos aprendem o que lhes interessa e fazem-no em qualquer idade; ele vai aprender um novo nome e a higiene é algo natural, que não precisa de aprendizagem. As palavras interessantes como “hora da comida”, “peixinho”, “bola de brincar”, “toma”, “hora da caminha”, parecem mágicas para os nossos gatinhos (sobretudo se eles não estiverem no meio de um sono profundo que, como sabemos, é sagrado!).


Por isso, tudo aquilo que pode ensinar a um gatinho bebê, pode também ensinar para um adulto. Tenho um cão e é difícil um gato adulto habituar-se: Alguns gatos adultos, pela sua vivência, não suportam cães. Alguns cães, pelos mesmos motivos, não suportam gatos. Mas são muito freqüentes relações de amizade ou de indiferença entre estas duas espécies. Se o seu cão não odeia gatos, há muitos gatos adultos que sempre conviveram com cães e que não constituirão qualquer problema. Por isso, trata-se apenas de perguntar a quem tem o gato a seu cuidado, como é que ele reage a cães.

 Gosto mais dos animais quando são pequenos: Se realmente pensa assim, talvez não seja oportuno adotar um animal. Não se esqueça que todos os animais crescem. Deixam de ter a gracinha de bebês, para passar a ter o encanto da maioridade. Muitos dos animais abandonados que vemos nas nossas cidades, estão na rua porque cresceram, cumprindo a lei natural da vida. As pessoas que os tinham não lembraram desse “pequeno” detalhe quando os adquiriram (gratuitamente ou não).


Claro que não devemos condenar todas as pessoas que gostam de animais pequeninos, mas apenas aquelas para quem eles só existem durante esse estágio e se limitam a descarta-los quando crescem. È normal que se goste de um animal bebê, porque tudo neles é encantador. É preciso que ao olhar para o bebê, se consiga imaginar o adulto, e se diga em consciência: este é mesmo um amigo que vai partilhar a vida toda comigo. Para além de tudo o que já foi esclarecido, julga-se ainda importante alertar para algumas vantagens que se encontram associadas a um gato adulto: São animais com o seu temperamento formado; quando leva um gato adulto, sabe que ele tem aquele temperamento que lhe foi descrito; no caso dos gatinhos bebês, ainda é uma incógnita, e Pode levar um doce de gatinho, ou um pequeno terrorista; um grande comunicador, ou um filósofo circunspecto; São mais calmos, portanto uma opção que deve ser fortemente ponderada por quem não tem muito tempo para brincar com um gatinho bebê, que exige muito mais atenção e disponibilidade por parte do dono; Freqüentemente, encontram-se já castrados e esterilizados, o que não deixa de construir menos preocupação para o novo dono.


Por tudo o que acaba de ler, se ama os animais e se para você, mais importante do que assistir as gracinhas dos bebês, é encontrar um amigo que retribua o amor que tem para lhe dar, então será um excelente dono para qualquer um dos gatos adultos que esperam, por vezes meses e até anos, que alguém volte a olhar para eles como seres vivos, dignos de respeito e merecedores também do conforto de um lar e carinho de um dono amigo. Veja os animais que estão em nosso site para adoção e ponha de lado os preconceitos. Agora que algumas das questões que te incomodavam tiveram uma resposta, vá em frente. Escolha o gato do seu coração. Lembre-se que o sucesso de uma adoção, quer seja de um gato bebê, quer de um gato adulto, residem, sobretudo, no amor e carinho que vai dedicar ao seu novo amigo. Ele vai retribuir como melhor sabe: com ronrons e olhos lindos, sempre inquietos e inquisitores, que vão dizer o quanto ele agradece por lhe ter dado a oportunidade de partilhar o seu mundo. Ah! Só gostaria de esclarecer uma coisa, por vezes neste texto dá-se a impressão de que o ser humano é o dono do gato. A correção impõe-se: é o gato que todos os dias, serena e discretamente, se torna dono do coração do humano que o acolheu!

 Fonte: site SOS Felinos

Superpopulação - Especial Arca Brasil



Saiu no site Arca Brasil um especial sobre a superpopulação de animais e o abandono. Mesmo com campanhas de conscientização, popularização de castrações, projetos voltados aos animais, universidades praticando preços mais acessíveis, os animais ainda são esquecidos. Vítimas da falta de respeito do ser-humano, o bicho é o elo mais fraco dessa corrente. Se não fossem os voluntários da causa, a situação estaria ainda pior. Abaixo, trechos da maravilhosa reportagem.

"Mas o que está acontecendo? O que não deu certo? O que há por fazer? Qual é o papel dos governantes? Qual é a importância dos protetores independentes e ONGs? As leis vigentes estão funcionando ou são meros instrumentos eleitorais? Os donos de animais têm cumprido seu papel? Questões fundamentais que não podem se perder no furacão que cerca todo esse imenso problema. (...)

Segundo Rita Garcia, Coordenadora Executiva do ITEC (Instituto Técnico de Educação e Controle Animal), o número de animais cresce junto com o da população humana, o mesmo se aplica aos problemas relativos a esse aumento. “Enquanto não existir uma política de impacto para atender essa demanda que é enorme, o problema não vai diminuir. (...)

Ou seja, o fenômeno pet, que inseriu o cão e o gato no seio familiar, não foi acompanhado por uma estrutura pública que previna e muito menos resolva o drama da superpopulação e do abandono. A Anfalpet (Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação) estima que em 2010 o Brasil terá 33 milhões de cães e 17 milhões de gatos domiciliados. Mas afinal, quantos irão parar nas ruas ou gerar crias indesejadas?  (...)"


Para leitura integral, acesse o link do especial.

***********************************

1 de outubro de 2010

Vídeo emocionante!

video


O vídeo aqui postado está distribuido na internet pelo Youtube, sem créditos.

9 de setembro de 2010

09 de setembro! Parabéns aos veterinários!

Foi no dia 9 de setembro de 1933, através do Decreto nº 23.133, que o então presidente Getúlio Vargas criou uma normatização para a atuação do médico veterinário e para o ensino dessa profissão. Em reconhecimento, a data passou a valer como o Dia do Veterinário. Mas escolas de veterinária já existiam no Brasil, desde 1910.

O Clube do Viralata deseja a todos os médicos veterinários e acadêmicos um feliz dia! Sem vocês, nosso trabalho seria incompleto e impossível! Agradecemos a dedicação e o amor.

Parabéns!


*******

6 de setembro de 2010

ADOTADOS! Adoção adultos de porte grande!

O Sr. Nelson é um sitiante, da região próxima ao Panambi, que abriga em sua propriedade vários animais e cuida muito bem deles, mas, por problemas de grande quantidade de animais e qualidade de vida dos mesmos, ele está a procura de um lar para dois cachorros de seu sitio:

Um MACHO, porte grande, cor marrom, com aproximadamente 7 meses, muito dócil (na foto uma criança esta segurando ele), acostumado a comer ração e atende pelo nome de Sultão.

E uma FÊMEA adulta, porte grande, muito bonita, parece ter mistura da raça Pastor Alemão, acostumada a caçar e cuidar dos tanques de peixe da propriedade e atende pelo nome de Gaivota. Essa cachorra necessita de um cuidado especial, ela é estéril e não gosta de outros animais, principalmente os menores que ela.
Segue abaixo o telefone do Sr. Nelson (dono dos cachorros) para maiores informações e tbm para explicar o endereço do sitio:    9919-1124 falar com Nelson.
Outras informações tbm pelo tel. 9912- 0847 falar com a Aline (voluntária do clube que está intermediando esse caso).
 
****